Entrevista com Daniel Perches

Entrevista com Daniel Perches

Ele tem mais de 200 mil seguidores somente no Instagram e mais de 15 anos de carreira dentro do mundo do vinho. O publicitário Daniel Perches é inegavelmente um dos maiores nomes do nosso mercado e a Única bateu um papo com ele para falar sobre carreira.

De que parte do Brasil você é?
Eu nasci em Piracicaba-SP mas morei em várias cidades, pois sempre que meu pai era transferido, eu seguia junto. Morei uma parte importante da minha vida no Espirito Santo, mais especificamente em Vila Velha e hoje moro em Campinas-SP
Como surgiu o seu interesse por vinhos?
Eu sou publicitário e em determinado momento me foi entregue a conta da Vinícola Salton para trabalhar. Com isso tive que aprender mais sobre vinhos e o que era uma paixão passou a ser uma possibilidade de trabalho. Criei meu blog, que foi um dos primeiros do Brasil e está ativo até hoje e desde então vim projetando as minhas atividades na área.
Caso não tenha mencionado na pergunta acima, a sua família tinha alguma tradição em beber vinho?
Não tinha. Meus pais gostam de beber vinho, mas me lembro deles bebendo essa bebida pouquíssimas vezes durante o ano.
Em que momento da sua vida você decidiu trabalhar com vinho?
Logo no segundo ano do meu blog eu vi uma oportunidade de criar um evento, junto com o meu sócio Beto Duarte. Inicialmente fazíamos os eventos de forma pequena, em paralelo a nossos trabalhos, mas sempre construindo um caminho para tornar o vinho o único trabalho. Isso aconteceu depois de vários anos e hoje é a nossa principal fonte de renda.
O Blog Vinhos de Corte e o canal no YouTube Vinhos de Corte, foram pioneiros nos seus nichos. Como foi a criação de cada um deles? Havia uma estratégia definida para cada canal?
Eu acho que sempre há uma estratégia, mas não necessariamente é a mais elaborada. Eu via que poderia criar um blog num formato “revista eletrônica”, que foi por muito tempo referência nesse formato e o canal do YouTube foi uma forma de eu poder falar sobre os vinhos dando o meu tom, mostrando o que eu estava sentindo com esses vinhos.
De onde veio a ideia para criar o evento Encontro de Vinhos?
Eu fui a um evento de vinhos organizado pelo meu sócio Beto Duarte e vi que havia muito a se fazer, já que na agência onde eu trabalhava eu também era responsável por eventos dos meus clientes. A parceria veio só depois de algum tempo, quando conversamos sobre a possibilidade de fazer algo diferente, que não havia no mercado até então. Os dois se encantaram por uma ideia que, felizmente, está funcionando e muito bem até hoje.
Você tem uma trajetória de sucesso no mercado de vinhos. Existe algum projeto seu que não foi pra frente? Qual foi o maior aprendizado desse projeto?
Eu criei uma empresa de venda de vinhos em taça, para atender eventos. A ideia, que hoje pode parecer até banal, era inovadora. Infelizmente não houve adesão do público nos eventos que participamos, o que desencadeou um desentendimento entre os sócios, gerando o fim do negócio. O negócio encerrou, mas trouxe comigo muitos aprendizados (inclusive para além do vinho).
Durante a pandemia, suas redes sociais, que já eram grandes, cresceram ainda mais. Como foi essa adaptação e a criação de uma linguagem que se tornou muito característica das suas redes?
Eu percebi que uma grande parte dos bebedores de vinhos estava sendo “deixada de lado” e passei a me comunicar com elas e é o que me move todos os dias para fazer novos conteúdos. Quero que as pessoas que não entendem nada de vinho – e que gostam de beber – possam ter acesso ao conhecimento. Em meus conteúdos, abordo os temas para iniciantes. Além disso, desenvolvi uma didática realmente única e minha, para me aproximar de verdade das pessoas. E tenho que contar que cada vez que encontro alguém que diz que me segue e que meus conteúdos ajudaram ela a se desenvolver no mundo do vinho, eu fico até emocionado.
Você tem ajuda de outras pessoas para administrar suas redes sociais?
Tenho. Hoje tenho uma equipe que trabalha comigo analisando os meus conteúdos e fazendo as campanhas de lançamento dos meus cursos, mas o conteúdo é 100% meu. Eu que crio tudo.
Você já negou alguma publicidade? Se sim, porquê?
Várias e por vários motivos. Principalmente por entender que não havia conexão com o meu público. E tenho que contar que essas são as propostas mais “rentáveis”, mas o que mais me importa, de verdade, é se o que eu vou mostrar faz sentido para o público (e obviamente, se eu acredito naquilo).
Você fala de diversos vinhos nas redes sociais, mas você prioriza algum estilo de vinho para beber no dia a dia?
Eu gosto muito de espumantes. Esse é sem dúvida o meu tipo de vinho preferido. Gosto muito dos brancos também, mas eu pratico o que eu sempre falo, que é escolher o vinho de acordo com a ocasião, então eu acabo diversificando bastante. Até gostaria de beber mais espumantes do que eu bebo, mas nem sempre dá (até por questão de tempo e de saúde, né? Como eu trabalho com vinhos e provo muitos, é sempre importante ter moderação).
Assinatura Vinhos Única Jessica Marinzeck

Destaques

Harmonizando vinho além da comida: quando a Syrah é em Si Menor
, ,

Harmonizando vinho além da comida: quando a Syrah é em Si Menor.

Explore combinações de diferentes estímulos, como vinho e música e amplifique sua apreciação e percepção, elevando seu prazer e entendimento.
Procura-se profissional do mundo dos vinhos
, ,

Procura-se profissional do mundo dos vinhos

Explore a jornada da transição de carreira em busca de um profissional de vinhos nesse apaixonante universo onde cada taça conta uma história.