Vinho e Festa Junina

Vinho e festa junina

A mesa e a festa como expressão cultural 

Tradicionalmente as festas juninas no Brasil representam uma forte expressão cultural, que pode ser observada na face alegre das festividades da época e na diversidade regional dos grupos que caracterizam o país. A cultura de um povo é baseada em movimentos artísticos que contemplam dança, música, artes plásticas, arquitetura, literatura e, não menos importante, a alimentação. O ato de comer carrega consigo, na comensalidade, uma série de ritos que, além da sociabilidade, fomentam a preservação de saberes e fazeres tradicionais.

Festas juninas são sempre celebrações fartas com diversidade de pratos doces e salgados, muita dança, belas decorações e, além disso, são regadas a deliciosas bebidas emblemáticas, que também se diferenciam em todo o país. 

Aliás, entre quentão, camel (cachaça com mel), vinho e chocolate quente, a forma como as bebidas juninas são produzidas e até mesmo como são conhecidas muda nas diferentes regiões do país.

O quentão, ainda que seja possivelmente a bebida mais consumida no Brasil nessa época, não se apresenta com uma receita padrão.  Grande parte dos preparos leva em sua lista de ingredientes a cachaça, especiarias e o gengibre, que agrega sabor e aromas especiais na finalização.

Vinho quente na caneca

Quentão ou vinho quente?

No entanto, na região sul do país, onde aportou boa parte dos imigrantes italianos, quentão é uma bebida produzida à base de vinho aquecido, o que para muitos é conhecido simplesmente como vinho quente, não menos tradicional. No restante do país, essa bebida leva, além de vinho tinto, açúcar, especiarias e frutas, e pode ser servida em canecas ou copos de vidro, e pode ser decorada com canela em pau, cravo e fatias de laranja.

E se aquele estoque de vinhos suaves não abertos se faz presente em sua casa, aproveite. Afinal de contas, os vinhos quentes preparados para celebrar a festa junina refletem o apreço dos brasileiros pelo dulçor em excesso que percebemos em uma porção dos nossos doces tradicionais, como brigadeiros, quindins e, por falar em festa junina, pés-de-moleque, bolos de milho, cocadas e afins.

Pode parecer estranho que uma mesma bebida nacional tenha a substituição de um ingrediente que a diferencie tanto. Porém, o que não faria sentido algum seria não aproveitar a vasta produção de vinhos da região sul do país para a produção de comes e bebes, não apenas nas festividades juninas, mas durante todo o ano. Vide o exemplo de produções como o sagu, cozido no vinho tinto.

Essa variação regional do quentão ou vinho quente não se resume à bebida alcoólica apenas. Ela pode estar no acréscimo ou não de frutas, como maçã, pêssego e raspas de laranja. Com vinho, cachaça, frutas, mix de especiarias ou até com jurupinga, o quentão segue sendo reinventado em todo o Brasil, mas seu posto de bebida tradicional das festas juninas, prevalece intocável, ano após ano.

Nem quente, nem quentão. Eu quero é vinho

Agora falemos mais especificamente a respeito do que tanto nos interessa como enófilos: o vinho. Vinho e festa junina são uma combinação perfeita para quem quer celebrar essa tradicional data brasileira com estilo e bom gosto. Com suas cores quentes e sabores intensos, o vinho é uma excelente opção para harmonizar com os pratos típicos da época, como as deliciosas comidas de milho, os caldos e as canjicas.

Uma das melhores opções de vinho para acompanhar as festas juninas são os vinhos tintos. Por serem encorpados e terem sabores marcantes, além de harmonizarem bem com alguns dos mais típicos pratos salgados da época, como pipoca, amendoim, pinhão e sanduíches à base de carnes cozidas bem temperadas, são o casamento perfeito para o clima invernoso de junho a julho, meses em que celebramos o São João.

Para quem prefere um vinho mais leve, os vinhos brancos e rosés também são uma boa escolha, ainda que menos comuns nas noites frias desses meses. No entanto, são vinhos de sabores mais suaves, frescos e com relevante acidez, por isso harmonizam bem com as sobremesas típicas da festa, como o arroz doce, produções com paçoca de amendoim e o mungunzá.

Em resumo, o vinho é uma excelente opção para quem quer celebrar a festa junina com estilo e sabor. Com suas diversas opções características para cada tipo, o vinho combina perfeitamente com os pratos típicos da época e ajuda a aquecer o corpo nas noites frias regadas a danças tradicionais como as quadrilhas. Então não deixe de incluir o vinho em sua comemoração junina e aproveite ao máximo essa festa tão tradicional e saborosa! Como incentivo, vou deixar uma receita bacana de vinho tinto para alguns e quentão de vinho para outros, daquelas simples e rápidas, que certamente já vai colocar todos em ritmo de festa junina, caso ainda não estejam com este espírito aflorado.

Espero que gostem. E Viva o São João!

Receita de vinho quente

INGREDIENTES: 

– 1,5l de vinho tinto suave ou meio-seco

– 160g de açúcar refinado 

– Casca de 2 laranjas

– 2 unidades de canela em pau

– 5 unidades de cravo da índia 

PREPARO: 

  1. Colocar todos os ingredientes numa panela, misturar bem e levar ao fogo
  2. Depois de ferver, abaixar o fogo e deixar cozinhar por cerca de 10 minutos
  3. Retirar os cravos e a canela e servir bem quente 

Assinatura Vinhos Única Chef Aline Guedes

Destaques

Harmonizando vinho além da comida: quando a Syrah é em Si Menor
, ,

Harmonizando vinho além da comida: quando a Syrah é em Si Menor.

Explore combinações de diferentes estímulos, como vinho e música e amplifique sua apreciação e percepção, elevando seu prazer e entendimento.
Procura-se profissional do mundo dos vinhos
, ,

Procura-se profissional do mundo dos vinhos

Explore a jornada da transição de carreira em busca de um profissional de vinhos nesse apaixonante universo onde cada taça conta uma história.